Paris, Je t’aime

Paris pode até não ser a cidade mais romântica do mundo, mas a capital francesa é das que mais amantes atrai, não fosse ela conhecida como a cidade do amor.

No dia dos namorados, Saint-Valentin, as oportunidades para o romance são infinitas e Paris apresenta vários eventos e tradições para a celebração do amor… várias chocolatarias famosas como Patrick Roger e Pierre Hermé lançam criações para comemorar o dia, os restaurantes oferecem cardápios especiais para esta data, entre outras iniciativas.

E a verdade é que se reside na Europa, consegue opções relativamente económicas para esta escapadela romântica de dois dias. E apesar do clima…estar em Paris no dia 14 de Fevereiro é surpreendentemente romântico.

Como chegar do Aeroporto à Cidade;

Nós chegámos a Paris pelo aeroporto Charles de Gaulle (CDG), também conhecido como Aeroporto Roissy.

Recomendamos-lhe os seguintes transportes para chegar à cidade:

RER 

Os comboios RER da linha B conectam o Aeroporto Charles de Gaulle com o centro de Paris em aproximadamente meia hora. As paragens mais importantes do centro de Paris são Gare du Nord (25 minutos), Châtelet-Les-Halles (28 minutos) e Denfert-Rochereau (35 minutos). A frequência dos comboios é de 10 e 15 minutos.

Autocarros

Há duas linhas de autocarros urbanos que vão do Charles de Gaulle a Paris:

  • Autocarro 350: Conecta o aeroporto com a estação Gare de l’Est.
  • Autocarro 351: Conecta o aeroporto com a Place Nation.

O tempo de trajeto das duas linhas varia entre 45 e 60 minutos e sua frequência oscila entre os 15 e 35 minutos. Estes autocarros são práticos se você está hospedado ao longo do seu trajeto e quer economizar. Se não for este o seu caso, a melhor opção será mesmo apanhar o RER B.

Onde Ficar:

Paris é uma cidade muito grande e os pontos turísticos estão bastante distantes uns dos outros. Se procura uma região elegante em Paris, a Champs Élysées, a Praça Concorde, o Louvre e a zona da Ópera Garnier são apostas certas. Mas se prefere um ambiente mais animado e quer aproveitar a vida noturna, o Quartier Latin é a opção ideal.

De qualquer forma, as margens do Sena, desde a Île de la Cité até a Torre Eiffel são zonas centrais, seguras e ideais para ficar. Se quer economizar encontrará hotéis mais baratos afastados do centro, mas terá de apanhar o metro mais frequentemente.

Paris está dividida em 20 arrondissements (bairros numerados) (consulte o mapa abaixo).

O famoso rio Sena divide a cidade em duas margens, sendo a direita, a mais sofisticada (Rive Droite).

Se optar por se hospedar nos arrondissements de números mais baixos, poderá fazer mais percursos a pé e ganhar algum tempo nas deslocações

Paris dispõe de uma excelente e organizada rede de transportes públicos, que abrange o metro, autocarros e comboios. Nem sempre é a mais segura ou limpa mas a sua eficiência é incontestável.

Para além disso, não faltam na cidade autocarros e barcos panorâmicos, táxis, carros de aluguer, e até voos de helicóptero para as bolsas mais afortunadas.

Apesar da sua dimensão, a cidade é relativamente compacta, facilitando que muitos dos circuitos entre pontos de interesse possam ser realizados a pé ou de bicicleta. Estude as possibilidades mais vantajosas de bilhetes que deve adquirir tendo em conta o número de dias e os locais que pretende visitar (Paris visit/Ticket T+, etc). Pode comprá-los nas máquinas presentes nas estações de metro, comboio (RER) e eléctrico. Em caso de necessidade, pode adquiri-los no próprio autocarro.

Deixamos-lhe três dicas importantes:

  • Valide sempre os bilhetes pois as multas são bastante altas;
  • Guarde o bilhete até ao seu destino;
  • Nas esteiras e escadas rolantes deixe o lado esquerdo para quem está com pressa;
  • Cuidado com os batedores de carteiras. Eles adoram os transportes públicos.

Para se deslocar na cidade também fazê-lo em autocarro turístico Bus hop on hop off para 1, 2 ou 3 dias:

  • Os autocarros da OpenTour são amarelos e azuis e permitem subir e descer deles todas as vezes que quiser durante a vigência do bilhete.
  • O Big Bus Paris (anteriormente Les Cars Rouges) é a empresa de autocarros turísticos mais antiga de Paris, os autocarros são vermelhos e realizam tours nocturnos.
  • Os autocarros da Foxity são cor-de-laranja, oferecem a opção de subir e descer em todas as paragens e também realizam tours noturnos.

 

Ficámos dois dias em Paris, optando por visitar a cidade de uma forma relaxada, sem grandes correrias…tendo sempre pretexto para uma próxima visita. Deixamos-lhe o itinerário que fizemos como sugestão.

Dia 1: Torre Eiffel, Campos Elísios, Arco do Triunfo e Montmartre (Sacré Couer).

Iniciámos a nossa viagem pela maior atracção de Paris, localizada em Champ de Mars, a famosa Torre Eiffel , com 324 metros de altura. Construída por Gustave Eiffel para a Exposição Universal de 1889, a visita a este monumento é incontornável para quem visita a cidade.

Felizmente Fevereiro não é um mês de grandes filas nestes monumentos. Se preferir, pode optar por comprar o bilhete online e evitar qualquer contratempo de espera.

A subida é feita num elevador e se está a pensar em subir a pé…boa sorte, são apenas 1.665 degraus.

A panorâmica que a torre nos oferece é fantástica…não fosse a rede e a multidão e não nos cansaríamos de a observar. Aproveite a manhã ou anoitecer para desfrutar da panorâmica no seu máximo esplendor.

Sabia que a Torre aumenta cerca de 15 cm no Verão devido à dilatação do ferro, retornando ao seu tamanho original no Inverno? E que, em média, testemunha dois pedidos de casamento por dia? Interessante não é? Vale a pena tentar a sua sorte!

Para outras informações consulte o site oficial da Torre Eifell.

Se optar pelo metro, aconselho-o a visitar a Torre Eiffel pela estação de Trocadero, de forma a observar a magnitude da torre e os Campos de Marte.

Transporte

  • Metro: Trocadero, linhas 6 e 9; Ecole militaire, linha 8
  • Autocarro: linhas 42, 69, 72, 82 e 87.
  • RER: Champ de Mars – Tour Eiffel, linha C.

Em seguida, seguimos para a avenida mais charmosa do mundo: Avenue des Champs Elyssés.

Na zona baixa da Champs Élysées, situada junto à Praça Concorde, pode observar jardins e imponentes edifícios, como o Palácio do Descobrimento, o Petit Palais e o Grand Palais. A zona alta, com início na Place de l’Etoile, junto ao magnífico Arco do Triunfo, está repleta de lojas de luxo, restaurantes e cinemas.

Curiosamente, a criação desta ampla avenida dá-se em 1640 com a plantação alinhada de árvores. A mitologia grega associa o nome de Campos Elíseos ao paraíso cristão.

E por falar em paraíso…pare e entre quando se deparar com o letreiro da loja Ladurée. Vai poder desfrutar dos melhores macarons e doces do mundo…difícil é escolher apenas um. Pode retomar a sua dieta no minuto em que sair da loja e correr até chegar ao Arco do Triunfo.

Transporte:

  • Metro: Champs-Élysées-Clemenceau, linhas 1 e 13;
  • Franklin D. Roosevelt, linhas 1 e 9; George V, linha 1;
  • Charles de Gaulle – Étoile, linhas 1, 2 e 6.

Vai poder observar L’ Arc du Triomphe, símbolo do patriotismo e orgulho francês, construído por ordem de Napoleão Bonaparte em 1806, representando as vitórias do exercito francês sob o seu comando.

Na base deste monumento podemos encontrar a Tumba do Soldado Desconhecido, com uma chama sempre acesa, em homenagem a todos os franceses não identificados que morreram na Primeira Guerra Mundial. Nos quatro pilares do arco estão gravados os nomes das batalhas vencidas pelos exércitos napoleônicos e os de 558 generais franceses.

Para entrar no interior do arco e aceder à parte superior, é necessário subir 286 degraus. No interior pode observar pequenos museus e dados sobre a sua construção.

Deste monumento, é possível ter uma vista incomparável da Avenida Champs Élysées.

Para mais informações visite o site oficial do Arco do Triunfo.

Atenção: Use as passagens subterrâneas para chegar ao Arco do Triunfo. Não tente atravessar a rua, esta rotunda é considerada uma das mais perigosas do mundo.

 

Visitamos em seguida a Sacré Coeur, Basílica do Sagrado Coração, localizada em Montmartre.

Transporte:

  • Metro: Anvers, linha 2; Abbesses, linha 12 (recomendado); Pigalle, linhas 2 e 12; Blanche, linha 2.
  • Autocarros: 30 – 31 – 80 – 85
  • Funicular de Montmartre (saindo em Anvers – Ligação da parte baixa à parte alta de Montmartre – alternativa aos 200 degraus)

Recomendamos-lhe que utilize o metro através de Abbesses. A entrada para esta estação é uma das mais bonitas de Paris do período da Belle Époque, do famoso designer francês Hector Guimard.

Ao sair, dirija-se para a Praça Jean Rictus, em frente à estação, para tirar umas selfies em casal no“ le mur des Je t’aime ”. Este mural contem a declaração “Eu te amo” em  300 idiomas.

Continue a sua caminhada até à Rue des Abbesses até a premiadíssima padaria “ Le Grenier à Pain ” para um lanchinho.

Nesta zona tem vários comboios turísticos se preferir esta opção.

A Basílica do Sacré Coeur fica localizada na zona alta de Montmartre. É um dos locais sagrados mais importantes de Paris.

A ideia de construir a Sacré Coeur terá tido origem no pagamento de uma promessa nos tempos napoleónico, caso a França sobrevivesse à guerra Franco-Prussiana.

A basílica foi construída em mármore travertino e tem muitas formas arredondadas, de inspiração romana e bizantina. As dimensões da Sacré Coeur falam por si: 83 metros de comprimento, 35 metros de largura e uma torre de 83 metros de altura. O seu sino, “La Savoyarde”, com 19 toneladas, é o maior de França e um dos mais pesados do mundo.

As escadas de acesso à basílica costumam estar repletas de pessoas a desfrutar da vista que este local oferece sobre a cidade.

Nos arredores da basílica, pode encontrar vários restaurantes, lojas e um ambiente muito especial. Vale a pena perder-se nas charmosas subidas e descidas em Montmartre para se encontrar na chamada  Place du Tertre (Praça dos Pintores).No final do século XIX, o bairro tinha uma péssima fama devido aos cabarés e bordéis, mas a atração que exerceu em vários artistas que acabaram por se mudar para lá, transformou Montmartre num dos bairros mais encantadores e peculiares de Paris, onde se respira um ambiente boêmio e artístico.

Montmartre divide-se em duas zonas muito distintas. Os arredores da Place Pogalle, onde reinam as luzes de neon anunciando infinitos sex-shops e alguns cabarés, entre os quais o famoso Moulin Rouge e a parte alta da colina, a boémia, nos arredores da Place du Tertre. Esta última é uma zona muito agradável para desfrutar das obras de arte que por ali se podem encontrar e um dos melhores locais da cidade para desfrutar de um excelente jantar a um preço bastante económico.

 

Dia 2:  Louvre, Ponte dos Cadeados Quartier Latin, Notre Dame – Sena….

O Museu do Louvre abre às 09:00, por isso, aproveite para chegar o mais cedo possível.

A nossa sugestão é que acorde cedinho, aproveitando para saborear o pequeno-almoço numa das maravilhosas padarias parisienses.

Transporte:

  • Metro: Palais-Royal – Musée du Louvre, linhas 1. 14 e 7.
  • Autocarro: linhas 27, 39, 69, 72,95.

O Museu do Louvre localiza-se no Palácio do Louvre, uma fortaleza do século XII que foi ampliada e reformada por diversas vezes. Antes da construção do Palácio de Versalhes, alguns monarcas, como Carlos V e Felipe II, utilizaram o Palácio do Louvre como residência real, acumulando nele as suas colecções artísticas.

A pirâmide de vidro, actual porta de acesso, foi construída em 1989, destacando-se na monotonia dos grandes blocos cinzas do museu.

Actualmente, este espaço é considerado um dos museus mais importantes do mundo.

Para visitar o Louvre não chega um dia mas, dada a escassez de tempo, se optar por entrar no Louvre planeie muito bem a sua visita. Nós optámos por não entrar…desta vez. Se resolver entrar citamos o mais famoso trio do Louvre: Monalisa, Vénus de Milo e Vitória de Samotrácia.

Para mais informações consulte o site oficial do Museu do Louvre.

Atenção à Ponte dos Cadeados (agora sem cadeados), que fica muito próximo do Museu. Aproveite e tire uma selfie num dos símbolos mais românticos de Paris.

Siga até à Rue Rivoli e faça uma pausa no Angelina, um salão de chá decorado no estilo Belle Époque. Desgrace o que resta da sua dieta nesta viagem a Paris perdendo-se num chocolate quente acompanhado de um Mont Blanc (bola de merengue com cobertura de chantilly e castanhas)…tudo muito light.

Queime as calorias ingeridas a caminho da Catedral de Notre Dame…(distancia de 2.3 km aproximadamente) ou opte pelos transportes públicos.

Transporte:

  • Metro: Linha 4, estação Cité ou Saint-Michel; 1 e 11: estação Hôtel de Ville; Linhas 10: estação Maubert-Mutualité ou Cluny – La Sorbonne; Linhas 7, 11 e 14: estação Châtelet
  • RER: Linhas B e C, estação Saint-Michel – Notre-Dame
  • Autocarro: 21, 24, 27, 38, 47, 85 e 96.

Dedicada à Virgem Maria, esta catedral é uma das catedrais góticas mais antigas do mundo. Notre Dame testemunhou importantes acontecimentos históricos, como a coroação de Napoleão Bonaparte, a beatificação de Joana D’Arc e a coroação de Henrique VI da Inglaterra entre outros. Repare nas rosáceas das fachadas.

As suas torres oferecem uma vista incrível de Paris, das famosas gárgulas e a visita ao campanário onde viveu o Corcunda de Notre Dame. O acesso às torres é feito pela entrada lateral esquerda da catedral, a pé, subindo os seus 387 degraus.

Não visitámos a cripta desta vez.

Em frente à Catedral, encontra o lugar (quilómetro zero) onde se medem todas as distâncias em França.

Para mais informações consultar o site oficial da Catedral de Notre-Dame. 

Continue o seu passeio na Île de la Cité , uma das zonas mais agradáveis para passear em Paris onde, para além da Catedral de Notre Dame, pode visitar a Sainte Chapelle ou a Conciergerie. Pode também visitar o mercado das flores da Place Louis Lépine.

Explore a Île de la Cité ao sabor da sua vontade, o Quartier Latin e o Boulevard Saint Michel, fonte barroca de St Michel, local de inúmeros protestos e revoltas sociais na história da cidade e La Conciergerie.

A Ilha da Cidade é o coração original de Paris. No passado, esta Ilha era um conjunto de ilhéus unidos por troncos de madeira e lama onde se construiu a cidade medieval.

Descanse, converse e beije, com Paris como cenário.

A Île de la Cité é circundada pelo símbolo da cidade de Paris, o rio Sena.

Pode contemplar o rio de imensas formas, desde as suas margens, das pontes ou até mesmo a bordo de um barco. A Ponte da Alma, Ponte Alexandre III, Ponte das Artes ou a Ponte Nova, são algumas das belíssimas pontes sobre o Sena, há muito para descobrir neste magnífico rio.

Para nós, a melhor maneira de aproveitar o Sena é a bordo de um barco, e se esse barco nos servir um saboroso jantar romântico sob as luzes nocturnas de Paris, melhor ainda.

Todos os barcos-restaurante são aquecidos e climatizados de acordo com a estação, e alguns dispõem mesmo de espaço ao ar livre. Veja as suas opções aqui .Se optar por esta sugestão, preste atenção ao código de vestuário para não ser surpreendido na hora do embarque.

E se a navegação não for o seu estilo, embarque no Bustronome, um autocarro gastronómico onde se pode jantar em vis-à-vis percorrendo as ruas da cidade.

Mas se preferir um jantar romântico em terra, recomendamos-lhe o restaurante 58 Tour Eiffel que fica no primeiro andar deste monumento e conta com um cardápio delicioso a preços razoáveis.

Por fim…

Desfrute da gastronomia francesa, dos seus pães e brioches (sobretudo o pain au chocolat), os croissants, os queijos (afinal a França é o paraíso dos amantes dos queijos…nós sentimos-nos em casa) e os crepes. Não deixe de experimentar também alguns pratos típicos como Coq au vin, Ratatouille, Boeuf Bourguignon, Escargots, Tarte Tatin, etc.

Faça como nós, por favor, recuse provar Foie gras, é uma crueldade desnecessária para com os animais e, na nossa opinião, devia ser proibido.

Se entretanto não receber nenhuma proposta de casamento, ou mesmo que a sua resposta seja não, já valeu a pena esta escapadinha…porque é difícil não se apaixonar por Paris…

Boa viagem!

A Filha

(Visto 88 vezes, 1 visitas hoje)

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.