Como conservar geleias e compotas

Fazer compotas é para mim uma forma de terapia anti-stress. Tenho sempre compotas caseiras na minha despensa, quer para consumo pessoal, quer para oferecer aos amigos e conhecidos, sobretudo quando sou apanhada de surpresa.

Desde que descobri o que considero o melhor método de conservação, aumentei em muito o seu tempo de vida mantendo todos os seus atributos.

A primeira coisa a saber: a proporção de açúcar/ fruta nunca deve ser inferior a 800 g /1 kg. Caso contrário devem ser conservadas no frigorífico e consumidas num espaço/intervalo de tempo mais curto, pois o açúcar é um dos factores fundamentais da “longevidade” da compota.

O segundo aspecto é a escolha de frascos com tampas metálicas herméticas. Existem muitas alternativas nos supermercados, inclusive de tampas suplentes.

Não esterilizo os frascos e tampas antes de usar, apenas os lavo muito bem lavados.

Por fim, depois de ter a sua geleia pronta e enfrascada (não encha demasiado os frascos), pegue na sua maior panela, coloque um pano no fundo (opcional) e disponha os frascos em cima do pano. Evite que os frascos se toquem.

Cubra os frascos com água e leve ao lume médio. À medida que a água vai aquecendo, pode observar as bolhas de ar a saírem das tampas. Quando começar a ferver, ou as bolhas cessarem, desligue o lume e deixe arrefecer completamente dentro da panela com a água.

Habitualmente retiro os frascos apenas no dia seguinte.

O centro da tampa irá ficar ligeiramente côncavo, e quando abrir, vai ouvir aquele …PLOC!

Frescura e sabor garantidos por muito, mas mesmo muito tempo!

A Filha

Para conhecer outras receitas de compotas e geleias clique em cima dos nomes:

Geleia de Marmelo com açúcar gelificante

Marmelada à moda da Avó Emília  

Geleia de Malagueta Vermelha

(Visto 34 vezes, 34 visitas hoje)

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.